Blog PÓS SEPARAÇÃO

Simone Arruda | Psicóloga
CRPDF 01/13114

3 dicas de como superar a dependência emocional

Somos seres sociais, e se relacionar com pessoas, faz parte da nossa vida, é bom ter alguém para compartilhar.

Compartilhe essa postagem

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Eu não quero que a dependência me faça grudar em qualquer pessoa”

Essa frase ouvi de uma cliente após ter conseguido passar por um processo de separação doloroso e que descobriu que sempre foi uma pessoa dependente emocionalmente de alguém, sempre saindo de um relacionamento e entrando em outro desesperadamente para não ficar sozinha.

E durante o processo terapêutico começou a ter consciência do próprio padrão de funcionamento, da sua personalidade, das crenças que tinha a respeito de si e sobre o outro e foi conseguindo sair do automático reconhecer os gatilhos, os pensamentos sabotadores e sabia que precisava ficar atenta a esses pensamentos para não cair nas armadilhas que a mente cria para nós.

Por isso tinha receio de “grudar” em alguém por não conseguir estar só. Porém, ela tem mais recursos e consciência que antes e tem também uma vida mais interessante agora, então apesar de estar em processo de reconstrução estava conseguindo crescer com sucesso, mesmo diante de alguns desafios.

E quero que você também consiga se sentir livre, caso se perceba dependente emocionalmente de alguém. Por isso nesse artigo vou explicar o que é dependência emocional e como isso impacto numa separação e claro de dar dicas de como supera-la.

A dependência, normalmente, é percebida como algo ruim e negativo, como se depender do outro fosse visto como errado e significasse um fracasso.

É muito comum eu ouvir no consultório o desejo de não querer depender de ninguém, de querer ser autossuficiente até por conta das frustrações vividas nos relacionamentos, então sucesso, para muitas mulheres, significa ser autossuficiente, se bastar, não necessitar do outro para complementar a felicidade.

Eu mesma já tive esse desejo também e descobri que não tem como me bastar, pois, tem certas coisas que é importante e presença do outro. Somos seres sociais, e se relacionar com pessoas, faz parte da nossa vida, é bom ter alguém para compartilhar a vida e pode contribuir para o nosso bem-estar e felicidade.

Criar conexões gera algum grau de dependência, acredito que é possível ter uma dependência saudável, mesmo que por momentos, para resolver algum problema, para conversar, para se divertir, como apoio, porque é praticamente impossível não depender de alguém no decorrer da vida.

O problema é quando se passa a acreditar que eu só conseguirei ser feliz se eu tiver um outro. Ou seja, eu posso ter outras coisas na minha vida, mas se eu não tiver alguém, de nada adianta. Se tornando presa fácil para entrar num relacionamento abusivo, mas que interpreta o controle como excesso de cuidado e amor ou sendo a pessoa abusiva na relação tendo comportamentos possessivos e de ciúmes excessivos exigindo atenção constante e buscando ter o controle sobre o outro e sua vida.

A dependência emocional é a necessidade que a pessoa sente de depender do outro para ser feliz e tomar as suas decisões, vivendo constantemente com o medo de ser abandonada, o que faz com que crie situações e vínculos de dependência e acabe se envolvendo com pessoas que alimentem isso.

Nos meus atendimentos, eu vejo que é muito comum, as mulheres que desenvolveram essa dependência não terem outras áreas da vida desenvolvidas como um hobbie, lazer, amizade, momentos de autocuidado, dependerem financeiramente do outro.

Então se esse outro deixar de existir na vida dela, não sobra nada. Então precisa se agarrar ao pouco que se tem. Por isso, procuro, durante os atendimentos, resgatar a sua identidade que é deixada de lado, ajudar a desenvolver as outras áreas da vida para poder sair da dependência, tirando um pouco o foco no relacionamento.

Porque sem base, pilares consolidados na vida, não é possível sair de um relacionamento de dependência emocional. Uma das causas para a dependência na vida adulta vem da infância, onde um vínculo mal formado com a principal figura de apego traz prejuízos nos relacionamentos e tal situação faz com que o indivíduo procure em seu parceiro um amor e afeto que faltou quando criança.

Mas há também outras explicações como o medo de perder ou a ansiedade de separação que fazem com que essa pessoa se fixe num amor dependente (RODRIGUES; CHALHUB, 2009).

A mulher que é dependente, costuma ter falta de autoconfiança, baixa autoestima, se sente inferior e incapaz de fazer qualquer atividade sem o auxílio do outro, se tornando submissa ao outro, vivendo em função dele, buscando validação do amor do outro, perdendo a sua individualidade e tendo ciúmes excessivos por insegurança.

Agora, como conseguir romper um relacionamento ruim quando se tem dependência emocional? O término de um relacionamento leva a dor e sofrimento que faz parte do processo do luto, pois há uma quebra do rumo daquela vida que está deixando de existe, muda a rotina, o futuro passa a ser desconhecido, aparecendo sentimentos de: culpa, fracasso, ódio, medo, ansiedade entre outros.

Pensamentos do tipo: “Eu não vou conseguir viver sem ele”, “O que será da minha vida?” costumam piorar mais as emoções. Como quem tem dependência emocional se vê incapaz de fazer qualquer coisa sozinha, o desespero aumenta, por não se ter ideia do que fazer, por onde começar, como começar a viver sem essa pessoa.

Então para ajudar vou te dar algumas dicas:

1 – Autoconhecimento – Como a carência leva a perda de si, o autoconhecimento possibilitará resgatar a si, seus talentos, habilidades, capacidades, além de ajudar a tomar consciência do que está por trás da carência, os motivadores e assim mudar a forma de agir;

2 – Desenvolver bons relacionamentos – Como a pessoa acaba vivendo em função do outro, fica vulnerável e sem rede de apoio, então é importante construir uma rede de apoio para conseguir se fortalecer, perceber que não está só e sair da dependência criada;

3 – Crie um relacionamento consigo – Se leve para passear, marque encontros consigo, se conheça, isso ajudará a sair da dependência e a necessidade constante de validação, aprovação e o amor do outro;

Você sofre ou já sofreu por dependência emocional?

Simone Arruda

Simone Arruda

Psicóloga há 16 anos, especialista em pós separação, pós-graduada em Terapia Cognitiva Comportamental e em Dinâmica dos grupos pela Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos.

Sou professora de Eneagrama pela EPTP – Enneagram Professional Training Program, Co-autora do Livro “A Bíblia do Coaching”.

Com mais de 5.000 horas ministrando treinamentos comportamentais e mais de 2000 vidas impactadas

Novidades

7 formas de lidar com a ansiedade pós fim de relacionamento

Não importa que tipo de relacionamento você estava, se era ruim ou não. O fim de um relacionamento sempre é...

Leia Agora

Meu ex começou a namorar e agora?

Muitas mulheres relatam a angústia que sentem só de pensar nisso acontecendo, dor no peito, falta de ar aparecem.

Leia Agora

3 dicas de como superar a dependência emocional

Somos seres sociais, e se relacionar com pessoas, faz parte da nossa vida, é bom ter alguém para compartilhar.

Leia Agora

Eu casei para ser para sempre

Digo que valeu a pena, não me arrependo de ter casado, de viver o que vivemos, porque eu sinto que...

Leia Agora

Por que sofremos por muito tempo a dor da separação?

A nossa energia é voltada para encontrar alguém, para ser escolhida, casar, ter filhos, construir uma família, ter um pet...

Leia Agora

Será que eu dou uma segunda chance para o ex?

É comum nos términos a tentativa de retomar a relação, o movimento ioiô ou os flashes backs. Esse movimento acaba...

Leia Agora

Por que os relacionamentos terminam?

As relações não terminam do nada e o relacionamento tem uma dinâmica própria que não é só a soma de...

Leia Agora

Existe vida pós separação?

Acredite é possível estar feliz e triste ao mesmo tempo, triste pelo término e feliz pela vida nova que floresce.

Leia Agora

Inscreva-se Junte-se as mulheres que descobriram que a Separação não é uma tragédia, mas viver infeliz em um relacionamento sim.

Entre para minha lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Este blog é dedicado a mulheres que assim como eu passaram ou estão passando pela separação, e de certa forma sofrendo, agora estou aqui para te ajudar a acelerar esse processo sem passar por todo o sofrimento que pode estar te esperando.

visite minhas redes

© Simone Arruda – Todos os Direitos Reservados | Produzido por Leadclinic